Digital clock

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A Rocha e a Areia

Quem não conhece o famoso ensinamento de Jesus no tocante aos dois alicerces (Mt 7.24-27)? O que vamos auferir deste precioso ensino dado pelo Maior dos mestres? Jesus fala de dois homens, ambos com o propósito de edificar uma casa para si, porém, em fundamentos diferentes: um sobre a rocha, outro, sobre a areia. Os propósitos eram similares, as casas que planejavam construir sobre seus respectivos alicerces também seríam idênticas, além do mais, Jesus deixa uma outra diferença exposta na parábola em apreço: um era prudente e o outro era insensato.


Notemos bem que, na parábola, os dois homens construíram suas casas e, as adversidades que sucedeu a um, também ocorreu ao outro. Sobre ambos desceu a chuva, correram rios, e assopraram ventos (Mt 7.25,27), pondo em evidência as palavras do rei Salomão: tudo sucede igualmente a todos: o mesmo sucede ao justo e ao ímpio... (Ec 9.2a). Tanto o homem prudente como o insensato passaram pelas provações já assinaladas. Com base nisso, cai por terra toda pregação que assegura toda a isenção possível de lutas e provações, afinal de contas não é este o evangelho de Cristo, pois Ele mesmo disse: No mundo tereis aflições... (Jo 16.33).


Por que Jesus comparou os praticantes da Sua Palavra ao homem que edificou a sua casa sobre a rocha? As razões são várias. Em primeiro lugar, o homem que edificou a casa sobre a rocha estava cônscio de que não podia parar a chuva, nem deter os ventos, tampouco controlar o ímpeto dos rios, mas, podia proteger-se de tais fatores estribando-se em uma rocha inabalável. Vejamos o que o apóstolo Paulo disse: ... se alguém está em Cristo... (2 Co 5.17). Ora, estar em Cristo é estar na verdadeira Rocha e quem se firma nesta rocha inabalável e inconfundível sabe perfeitamente que não poderá fugir dos dias maus, aflitivos e tempestuosos, mas também sabe que obterá vitória em todas estas coisas, porquanto está firmado em um alicerce indestrutível.


Em segundo lugar, o homem que edificou a casa sobre a rocha sabia que tinha de se guardar das fatalidades que poderiam pôr sua vida em risco, por isso, Jesus o chamou de "homem prudente". (Mt 7.24). Prudência é saber se conduzir acautelando-se de erros ou de perigos que produzam resultados negativos que visam prejudicar a índole de alguém; o Senhor nos exortou a sermos prudentes (Mt 10.16), e em várias passagens do NT encontramos recomendações que diz respeito ao fato de "guardar-nos", "acautelar-nos" de muitas coisas (Mt 6.1; 7.15; 16.6; 24.4). Proceder com cautela é preservar a sua imagem e sua conduta, ilibada na Palavra de Deus, desviando-se do mal e de escândalos que visam mutilar o perfil de um cristão autêntico (2 Co 6.3).


Em terceiro lugar, o homem que edificou a casa sobre a rocha estava certíssimo de que a mesma lhe proporcionaria toda a segurança necessária. Quem pratica a Palavra do Senhor possui a plena certeza de estar sob a égide do Todo-Poderoso, tendo dEle plena proteção (Sl 23.4). Cristo é a Rocha que nos assegura salvação e a Palavra viva que enriquece a nossa fé.


Diferente do homem que construiu a casa sobre a rocha, o homem que edificou a sua casa sobre a areia pensou que estaria isento das intempéries que poderiam causar-lhe tamanha destruição; talvez também tenha pensado que seria inútil preocupar-se com sua própria segurança. Por acaso não é este o pensamento dos ímpios? O próprio Jó reconheceu a expressiva realidade (Jó 21.7-16). Eis como são muitos os que possuem sua casa sobre a areia; dinheiro em demasia e escassez de paz em sua alma; a tudo o que deseja, compra, menos a alegria de poder viver; logo, o que sentem é insegurança e o que possuem é um aperto dentro da alma, pois depressa vão se afogando no rio das turbulências, tropeçam no vale sombrio e escorregadio da desesperança e assim vão perecendo.


Como a areia agitada e levada pelo vento são os que não tem a verdadeira paz em Cristo. Debalde é construir planos, sonhar, realizar, quando, a qualquer hora, o vento das desilusões pode dar fim em tudo isso, causando dissabores e uma profunda crise de desânimo e amargura. Edificar a casa sobre a areia é viver uma vida só de momentos não sabendo da repentina destruição que pode assolar sua habitação pondo tudo abaixo. Quem se atrela a uma vida só de momentos desconhece o privilégio de obter a perene paz de Cristo em sua vida.


Não existe nenhum outro meio de viver em plena segurança de espírito senão em Cristo; Ele é a Rocha imutável a Quem todos devem recorrer, a fim de que recebam graça, consolo e proteção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário