Digital clock

quarta-feira, 8 de junho de 2011

O cantar do galo e o despertar da consciência - Jo 18.27



Deus é poderoso para promover situações a fim de Se revelar ao homem, despertar a sua consciência, trazendo-o à Sua presença. Aconteceu com o apóstolo Pedro; este, embora andasse com Jesus, presenciasse os sinais que Ele fazia, ouvisse os Seus ungidos sermões, ainda necessitava de um profundo despertamento espiritual. Ele pensava que iria longe, porém, Cristo o advertiu da sua queda (Jo 13.36-38).

Com isso aprendemos que ninguém pode se achar tão forte que não seja apanhado em alguma falha, pois, todos nós somos sujeitos a isso (1 Co 10.12). Sendo questionado pelos que estavam próximo dele, Simão Pedro responde negativamente a todas as indagações que lhe fizeram, ou seja, afirmava não ser discípulo de Cristo e que não conhecia "tal homem" (M 26.72; Jo 18.25). Notemos a maneira como ele se referiu ao seu Mestre: "tal homem", tratando-O como um desconhecido. Enquanto o galo não cantava, Pedro relutava em negar o seu Salvador, mas, quando o galo cantou: 1) Simão se lembrou das palavras de Jesus; 2) conscientizou-se do seu grave erro em mentir para os que lhe indagavam; 3) reconheceu a tolice de haver negado Aquele que lhe vocacionou para o ministério apostólico. Não foi um profeta que Deus usou para mostrar a Pedro a gravidade dos seus erros, pelo contrário, o Senhor usou um galo!

O cantar do galo foi um sinal para que Pedro, caindo em si, atentasse para esta atitude tão deplorável de maneira que não viesse a cometer mais. Quem o Senhor deseja usar para despertar a humanidade dos seus pecados, crendo piamente em Cristo? A Igreja. A quem Deus delegou essa tarefa de ir aos não-alcançados e até aqueles que deixaram o Senhor, anunciando-lhes o Evangelho genuíno de Jesus Cristo? A Igreja. Só assim, eles conhecerão o "tal homem" que morreu na Cruz do Calvário em favor de todos os homens (1 Jo 2.2).

Como o galo que cantou no passado é a Igreja falando no presente, a fim de todos ouçam a Palavra de Deus e se despertem enquanto é tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário