Digital clock

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Bebendo da Cisterna - Algumas lições acerca da relação afetiva entre o homem e sua esposa

"Bebe a água da tua cisterna e das correntes do teu poço" - Provérbios 5.15



A Escritura Sagrada está repleta de lições referentes ao casamento, muito embora haja ainda em nosso meio crentes ultraconservadores que acham absurdo tematizar um assunto como esse na Igreja, pelo fato da Igreja ser santa e, para tanto, não deve ser "profanada" ao falar de assuntos "inconvenientes" dentro da Casa de Deus. Certamente o absurdo maior é o radicalismo de muitos crentes que, de fato, não conhecem as Escrituras como deveriam conhecê-la. A verdade é que todo cristão que se preze, tem intimidade com o Livro Sagrado (Sl 1.2). 

São muitas as passagens que dão ênfase a relação sexual dentro do matrimônio, a satisfação de ambos no momento da relação. Passagens para este tipo de assunto na Escritura Sagrada é o que não falta. Como pode haver cristãos ainda tão radicais, tão extremistas quanto ao assunto? Nos últimos anos, tem sido crescente o número de casamentos dissolvidos por inúmeros motivos, sendo um deles a falta de comunicação quanto à relação sexual. Devemos atentar para a passagem bíblica que diz: "Igualmente, vós, maridos, coabitai com ela com entendimento, dando honra à mulher como vaso mais fraco..." (1 Pe 3.7). Está faltando "entendimento", a não-comunicação, o que dificulta o cônjuge em conhecer o que seu parceiro ou parceira mais gosta para proporcionar uma relação, digamos, mais "apimentada". Porém, sem entendimento, sem "clima", por fim, sem afeto que os ligue um ao outro. 

O sábio Rei Salomão diz: "Bebe a água da tua cisterna...". O pronome possessivo "tua" indica que o homem deve reconhecer sua esposa como única fonte de prazer e satisfação sexual. Lamentavelmente, encontramos muitos casos de homens ou mesmo mulheres insatisfeitas com seu casamento, infelizes com o marido ou com a esposa devido a alguns impasses indesejáveis que não poderiam estar acontecendo, mas, que infelizmente virou rotina em suas vidas. É o homem insatisfeito com a esposa, outrora, a mais linda, dos olhos encantadores, que "cativou" o seu apaixonado coração. Agora, não existe mais os olhos verdes que, antes, via nela, não enxerga mais o corpinho "escultural" quando ela passava por ele, para o tal marido, as de "fora", sempre são bonitas, se arrumam mais, valem mais a pena. As mulheres não fogem à esta realidade. O marido que, na época do namoro, era um "gato", agora, é um "cavalo". É a "barriguinha" aparecendo e o "amor" sumindo. Além de muitas outras coisas que motivam homens e mulheres (NÃO TODOS) a darem uma "variada", isto é, encontrar fora de casa .No entanto, a Escritura Sagrada diz: "Bebe a água da tua cisterna". Por que não enxergar agora a beleza que havia antes? Por que não valorizar agora da maneira como valorizava antes? Para onde foram os elogios? 

Uma lição que a gente aprende com a cisterna é que ela, por si só, não se enche de água. Isso é tarefa peculiar do seu dono. A lição aqui é de investimento. Muitas vezes o marido espera da esposa amor, carinho, atenção e tantos outros gestos que demonstrem afeto, no entanto, magoa a sua mulher, ferindo-lhe os sentimentos e acham que com isso a esposa vai corresponder com amor e atenção. A água que eu bebo da cisterna é a mesma que eu coloco lá. Não se pode receber amor da esposa se, antes, não lhe transmitir amor. Transmitindo maus tratos, certamente receberá maus tratos. Espera carinho da sua esposa? Dê carinho a ela. Espera que ela seja atenciosa? Seja atencioso com ela. Espera companheirismo dela? Seja companheiro. Lembre-se: é dando que se recebe (ver At 20.35). 

Uma outra grande lição que exaurimos da cisterna é que ela tinha como finalidade conter grande quantidade de água em tempo de pouca chuva. Pode simbolizar a esposa como verdadeira companheira em tempos de crise, de reveses, situações desfavoráveis que vem ao nosso encontro. Companheirismo é uma virtude que se constrói quando ambos se doam fielmente aos enlaces do verdadeiro afeto conjugal. A mulher motiva e encoraja o homem nos momentos espinhosos da vida porque essa mesma motivação ela recebeu dele ao se sentir valorizada como esposa, única em sua vida. Quando ela se sente a única na vida dele, terá o marido como o ÚNICO homem na sua vida. Uma questão de motivação. Como está a tua cisterna? Contendo água ou é simplesmente um poço seco porque, há muito tempo, deixaste de investir na sua esposa? 

Terceira e grande lição da cisterna: ela contém água dentro de si, sabendo apenas o dono da cisterna. É o tipo da esposa que não se expõe a outros, porque ela sabe que seu dever é unicamente agradar a seu marido. Ela é como uma cisterna, na qual, somente o seu "dono", ou seja, o seu marido tem acesso. "Sejam para ti só e não para os estranhos contigo" (Pv 5.17). Nem sempre a grama do vizinho é mais verde. Às vezes o seu gramado é mais fértil e você não está percebendo. A tua cisterna é a mais conservada e você ainda não reparou isso. Ainda há tempo de reparar!

A água mantida na cisterna era apropriada para suprir todo o tipo de necessidade, sendo, portanto, uma água salutar. Aqui entra a questão sexual, aonde o homem se sente atraído pela sua esposa. Por que se admirar com as outras se a sua esposa tem a água salutar que lhe satisfaz, que lhe enche de gozo, prazer, deixando-o plenamente realizado? O sexo é uma benção de Deus, quando desfrutado de maneira legítima, isto é, no âmbito do matrimônio. O prazer mútuo, decorrente no ambiente conjugal, é aprovado por Deus (Hb 13.4). Quando lemos que Deus criou "macho e fêmea" (Gn 1.27), essa verdade é reforçada, pois, a palavra "fêmea", segundo os eruditos, tem o sentido de "perfurar", "atravessar", um indicativo de sexualidade.

Se você preza pelo seu casamento e acredita que o casamento é projeto de Deus como Ele mesmo estabeleceu (Gn 2.22-24), "bebe a água da tua cisterna" (Pv 5.15)! Valorize o que você tem dentro de casa: a sua esposa! Costuma-se dizer que homem de verdade não é aquele que conquista várias mulheres e sim aquele que conquista  a SUA MULHER todos os dias!

Deus vos abençoe.

Um comentário: