Digital clock

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Uma Vida sem Sentidos

Abelha sem a flor,
Carro sem condutor,
Vida sem amor,
Na mais intensa dor,

Quão penosa é?!

Campo sem lírios,
Oceano em seu vazio;
Uma angústia veemente
No oculto da alma latente!

A vida se torna escassa
Não recorrendo ao Criador;
Tudo é breve, tudo passa,
E o que resta é desamor.

Terra sedenta de água,
Poeira agitada pelo vento,
Uma vida desorientada
Abandonada em meio ao relento.

Perdido na escuridão,
Sem alvo e sem direção
No esvair de uma linda flor
Qual homem longe do Salvador.

Cravos e espinhos
Manifestos no caminho,
O tropeço nos pedregais,
Assim prossegue noite e dia
Numa amargura em demasia.

A vida se torna escassa,
Não recorrendo ao Criador;
Tudo é breve, tudo passa,
E o que resta é desamor.

(Autor: Clenio Daniel)

sábado, 29 de setembro de 2012

O que há de errado com as mulheres?

Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos sois um em Cristo Jesus (Gálatas 3.28)

A Escritura Sagrada nos diz que "para com Deus, não há acepção de pessoas" (Rm 2.11). No entanto, é lamentável que os homens, além de fazerem acepção de pessoas, causam decepção às pessoas! Isto nada mais é que um amargoso fruto de conceito mórbido dos extremistas que se opõem, a torto e a direito, a atuação feminina no Ministério da Igreja. Machistas ao extremo, veem a mulher apenas como um objeto, quando ela também é uma criação inteligente de Deus.
No livro do Gênesis assim está escrito:"E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou" (Gn 1.27). A conjunção aditiva "e" na relação "macho e fêmea" é significativa. Dá a ideia enfática de que a imagem de Deus está inserida tanto no homem como na mulher, sendo ambos, desta forma, feitos à imagem do Criador.
No desenrolar da História da humanidade, Deus tem levantado homens e mulheres que, com galhardia, se doaram intensamente para serem o canal onde o Senhor, nosso Deus, pudesse cumprir os Seus desígnios. Partindo do pressuposto bíblico de que em Cristo "não há macho nem fêmea" porque somos um Cristo Jesus (Gl 3.28), é observável nas Escrituras o empenho das mulheres, as quais, com expressiva notoriedade, deixaram exemplos dignos de serem realçados em nossos dias. Contudo, é pesaroso saber que a valorização do perfil feminino tenha mergulhado na obscuridade dos séculos subsequentes. Sob as âncoras de misericórdia do Pai Eterno que trouxe a supercície da existência as verdadeiras atribuições a personalidade mulheril, pôde-se redescobrir as lacunas que somente as mulheres, por serem também criação de Deus, puderam e ainda podem preencher no espaço social. Ao tempo que a paternidade é mencionada na Bíblia, os laços maternais, por outro lado, não são esquecidos(Pv 31.10ss).
Inúmeros são os testemunhos de mulheres que, ao avançarem na fé em Cristo, deixaram suas indeléveis marcas, as quais, servem de exemplo para as mulheres da nossa geração. Sim, além de esposas e donas de casa, podem tratar dos negócios de nosso Pai Celestial. O Estado do Ceará conheceu o evangelho por meio de uma mulher, a saber, Maria de Jesus Nazaré Araújo, segunda brasileira batizada com o Espírito Santo em Belém do Pará. Ela evangelizou, primeiro, seus parentes com a pregação do evangelho pentecostal e logo adiante evangelizou a todos quantos lhe ouviam, agregando muitas almas ao Rebanho do Senhor Jesus. Hoje, o Ceará é um dos Estados da Federação Brasileira com um considerável número de cristãos, mormente pentecostais. Desacreditar no potencial feminino é desconsiderar a Igreja na sua quase totalidade. Se levantarmos pesquisas exaustivas a respeitos do número de membros da Igreja, chegaremos à conclusão de que a maior parte da membresia é formada por mulheres! Raras são as exceções, entretanto, o exposto acima é inegável.
O desejo do meu coração é que o Senhor abençoe as todas as mulheres cristãs em nosso país, não importando a denominação evangélica a qual pertencem. Sejam elas diaconisas, missionárias, pastoras, etc. Igual aos homens, elas também são servas de Deus e instrumentos nas Suas mãos.
É bem previsível que muitos deduzam que eu seja "meio efeminado" por escrever um artigo desse, defendendo as mulheres. Isso não me afeta. Sou puramente homem, esperando no Senhor aquela que há de ser minha esposa para, sempre, caminhar do meu lado.  O que há de errado com as mulheres para serem inibidas de exercerem o santo ministério? O erro está nos machistas que, envenenados pela insensibilidade espiritual e bíblica, desacreditam idiotamente na capacidade mulheril. Quantos homens se acovardando na obra do Senhor? Quantas mulheres prontamente eficazes em atender o chamado do Mestre? Para concluir, a pergunta mais certa é: O que Há de Errado com os Homens?
Em Cristo, não há homem nem mulher, pois, somos um por meio do Seu sangue, o sangue do Novo Concerto!
Deus vos abençoe!

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Assembleia de Deus no Brasil completa 101 anos de fundação

Característica de uma Igreja triunfante sobre o fogo ardente das provações, é a Igreja Evangélica Assembleia de Deus, chegando a 101 anos de existência e de uma história pujante que até ao dia de hoje comove a grandes e pequenos.
Obedecendo a ordem imperiosa do Senhor, os dois grandes baluartes do que viria ser o Movimento Pentecostal no Brasil, embarcaram no Navio "Clement" no memorável dia 05 de novembro de 1910, no sábado. Nos 14 dias que se seguiram, os nossoa pioneiros nem por isso deixaram de falar do amor de Cristo que excede todo o entendimento aos companheiros de embarcação. Era 19 de Novembro, segunda-feira, do mesmo ano quando os missionários suecos tocaram os pés em terras brasileiras; uma profunda admiração se apoderou deles. Não era a querida Terra Natal, onde nasceram, nem tampouco South Bend, cidade onde onde estiveram pela última vez antes de migrarem para a região, para eles, desconhecida; era um outro país, um outro "mundo", outra cultura.
Surpresos com a euforia dos brasileiros que transitavam para lá e para cá, por ouvirem uma língua até então desconhecida, intensificou ainda mais o clima de emoção, a ninguém conheciam e de ninguém eram conhecidos, não havia parentes ou pessoas para recepioná-los. Tudo era novidade. Então, Daniel Gustav Berg e Gunnar Adolf Vingren estabeleceram-se no Brasil convictos do chamado de Deus em suas vidas. O fogo inextinguível do avivamento da Rua Azusa ainda aquecia seus corações, tornando-os motivados a propagarem a genuína chama pentecostal aonde o Senhor os enviasse. Belém do Pará tornou-se o quartel-general dos nossos pioneiros; e a chegada destes foi uma injeção de ânimo em todos os crentes da Igreja Batista de Belém, sob os cuidados do pastor Erik Nilson. Contudo, passam-se os dias e uma reação inesperada ganha notoriedade entre os irmãos daquela Igreja: a mensagem pentecostal, pregada e defendida pelos missionários recém-chegados não agradou a muitos, mormente o pastor da Igreja. Como resultado, foram excluídos 13 membros da Igreja Batista de Belém, entre os quais, Daniel Berg e Gunnar Vingren; isso data de 13 de junho de 1911, numa terça-feira. Sendo assim, se reuniram na residência de Celina de Albuquerque, primeira brasileira batizada com o Espírito Santo, na Rua Siqueira Mendes, onde, no dia 18 de junho daquele corrente ano, num domingo, deram início a Missão de Fé Apóstolica, a qual, em 11 de Janeiro de 1918, ganhou personalidade jurídica, sendo registrada no Cartório de Registros de Títulos e Documentos do 1º Ofício, em Belém, no Livro A, Nº 2, de Registro Civil de Pessoas Jurídicas e Outros Papéis, número de ordem 131.448, sob o nome "Estatuto da Sociedade Evangélica Assembleia de Deus", número de ordem 21.320, do protocolo Nº 2.
Uma vez fundada na data em que, hoje, hasteamos a bandeira da comemoração, a Igreja, doravante, cumpriu a incumbência confiada pelo Senhor Jesus Cristo: anunciar aos não-alcançados as boas novas do santo evangelho. Grande era ousadia dos primeiros crentes da Assembleia de Deus ao falarem: "Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo e leva para o céu". Em toda a parte onde essa mensagem era pregada, o Senhor salvava, curava, batizava com o Espírito Santo e operava maravilhas, porque a Palavra de Deus é viva e eficaz (Hebreus 4.12).
São  101 anos de história, e este mesmo evangelho, tal como foi entregue aos nossos pais na fé, também nos alcançou, tornando-nos dignos de apregoar esta mensagem que continua arrebanhando vidas para o aprisco do Senhor Jesus na Terra. São exatamente 101 anos e o Senhor, nosso Deus, continua salvando, curando, batizando com o Espírito Santo e fazendo prodígios na Assembleia de Deus, Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente (Hebreus 13.8).
Parabenizo, portanto, a todos os irmãos das Assembleias de Deus, seja Ministério de Madureira (do qual faço parte), seja Ministério do Belém, seja Ministério Vitória em Cristo e tantas outras Igrejas que levam o nome Assembleia de Deus, somos um no amor de Cristo. Aleluia!
Aos grandes ícones da denominação assembleiana: Bispo Manoel Ferreira, pastores José Wellington Bezerra da Costa, Silas Lima Malafaia, Ailton José Alves, Samuel Ferreira, Abner Ferreira, Antônio Gilberto, Esequias Soares e tantos outros cujos nomes merecem destaque, mas, o Senhor os conhece; não esquecendo do mui digno pastor Samuel Câmara, presidente da Igreja-Mãe, onde tudo começou. Somos a geração pioneira do bicentenário, na luta pela preservação dos marcos antigos que nossos pais deixaram (Provérbios 22.28), na manutenção do fervor espiritual que caracterizou a Igreja Assembleia de Deus nos seus primeiros anos.

Assembleianos de todo o Brasil! Esta é a nossa história! Que possamos valorizar este privilégio que, por Deus, nos foi concedido, de fazermos parte da maior denominação do mundo. Deus seja louvado. Oremos com fervor para que nossa Igreja esteja embaixo da unção Espírito Santo como foi nos seus alvores. A Deus tributamos toda a honra, glória e louvor, pois, sem Ele, não haveria razão para sermos, fazermos, lutarmos, realizarmos e conquistarmos; e como foi nos tempos de Neemias, assim o Deus dos céus nos tem feito prosperar (Neemias 2.20) e triunfar em tudo! Desejamos que a geração do bicentenário, trilhe os caminhos da santificação, sempre firmes nos primórdios do Evangelho do Senhor Jesus Cristo, que, como diz o pastor David Cabral, presidente da Assembleia de Deus Ministério de Madureira em Volta Redonda (RJ), é maravilhosamente simples e simplesmente maravilhoso, e agora, digo eu, poderosamente único e unicamente poderoso, verdadeiramente suficiente e suficientemente verdadeiro. Hosanas ao Cordeiro nas alturas!
Sob as bençãos de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus continua dandos passos firmes, guardiã da Sã Doutrina, fator este que carateriza a Igreja de Cristo na Terra. Desta feita, sigamos para o alvo, na obediência dos preceitos bíblicos, na propagação da Palavra a todos quantos estão assentandos à sombra da morte, clamando a quem possa ouvir:
"Ó VEM, VEM, VEM, VEM,
VEM À ASSEMBLEIA E LOUVEMOS
AO NOSSO BOM DEUS REDENTOR
POIS MAIOR ALEGRIA NÃO TEMOS
QUE FRUIR SEU IMENSO AMOR"

Deus vos abençoe. Parabéns!

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Memórias de um Filho Pródigo

No relento da solidão
Conturbado eu estava;
Ó ferido coração
Que dia e noite não cessava
De chorar sem precisão
E em vão lacrimejava.


Foi debalde o que fiz:
Sair da casa paternal;
Pois fazer o que sempre quiz
Foi meu verdadeiro mal.


No meu mundo eu vivia,
Mas meu pai sempre a chorar;
Pois aguardava ele, um dia,
Que eu retornasse para o Lar.


O meu dinheiro esbanjei,
Novos amigos conheci;
Paixões mui loucas desfrutei
Bons momentos eu vivi.


Tão  incauto era eu
Nas atitudes e no pensar.
Foram devaneios meus
Que à amargura deu lugar.


Não há silêncio dentro em mim,
Meus pensamentos se afloram;
Acusações que não tem fim,
No consciente, me apavoram.


Levantar-me-ei daqui,
Ao velho lar retornarei;
A quem eu tanto entristeci,
O seu perdão eu rogarei.


"Meu pai, meu pai aqui estou!
Quão grande foi o meu pecado!
Estou marcado em grande dor,
Angústias mil  tem me cercado!"


"O que posso eu fazer
Pra merecer tua compaixão?
Quero alcançar tua mercê,
O teu amor eu obter
E receber consolação!"


"Meu pai, meu pai aqui estou!
Pois aprendi que a ilusão
É violenta, é traiçoeira,
Gera em muitos a cegueira
E induz os tais a transgressão."


"Pai, perdoa-me, te peço,
Vida nova eu quero ter;
Em meio as lágrimas, confesso,
Neste dia de regresso:
Não quero mais lhe entristecer."


                                (Declamação do Pai)


"Filho meu, como eu te amo!
E a ti concedo o meu perdão!
Mesmo longe a vaguear,
Estrada a fora a caminhar,
Contigo foi meu coração!"


Bem maior que essa distância
Foi a dor que carreguei
Em meu coração aflito,
Taciturno, tão contrito
Como nunca imaginei!"


"Para o Lar tu retornaste
Deixando mundo para trás!
O meu ser tu renovaste
De alegria tão veraz!"


"E com prazer festejaremos
Pela sua decisão
De voltar a sua casa
No triunfo da desgraça
E da terrível solidão!"


"Homens, velhos e meninos!
Nos alegremos com fervor!
Porque a este que é vindo
Do mundo mau se libertou!"


                                                 (Clenio Daniel Parente Mendes)

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Obra Missionária

O ilustre pastor e pregador da Palavra de Deus, José Agnaldo Celestino dos Santos, disse que "Missões não basta estar no coração de Deus, tem que estar no nosso também". Por isso, como forma de apelo ao chamado missionário, trago-vos esta reflexão poética:

Em cada homem, uma alma,
Em cada alma, um valor;
Em todo o tempo, Missionários
Apregoando aos sedentários
O Evangelho de amor.

Este valor imensurável
Só o Senhor é quem conhece.
Ele procura sem cessar
Missionários a lutar
Pelas almas que perecem.

Missionário, eis avante!
Porque Deus contigo é!
Não demores, vá depressa
Porque multidões esperam
Ouvir a Palavra da Fé!

Tribos, Línguas e Nações
Bem distantes da Verdade;
Enrijecidos corações
Sem temor e piedade;
Que Deus estenda a Sua mão
Para arrancar da escuridão
Esta aflita humanidade.

O mundo clama por salvação
E Deus clama a Sua Igreja
A cumprir sua missão
Outorgada com inteireza;
Que haja plena devoção
Valentia e firmeza,
Pra cumprir o santo "ide"
Té que do Alto Ele desça.

Missionário, eis avante!
Quantas almas ao redor!
Ó não sejas vacilante,
Porque muitos são os que morrem
Reduzindo-se ao pó!

                                               (Clenio Daniel Parente Mendes)

Igreja Assembleia de Deus no Brasil

Para todos os que amam, como eu, a história da Assembleia de Deus no Brasil, como também servir ao Senhor nesta denominação, trago-vos uma poesia, de minha autoria, lembrando esse fato tão marcante na história da Igreja Brasileira. Deus seja louvado.


Já se fazem muitos
Este fato memorável
E com alegria, hoje, cantamos,
De uma forma agradável,
Da chegada dos irmãos,
Missionários por vocação
E de atitude tão Louvável.

Pioneiros destemidos
Encaravam com amor
Aflições de todo o tipo,
Mas honravam ao Senhor;
Confiavam no Deus vivo
Que lhes foi seu Protetor.

Dos obreiros, a bravura;
Do rebanho, a intercessão;
Do dia-a-dia, as agruras;
A todo o instante, a provisão,
Pois lá do céu Deus atendia
A persistente oração.

Em todo o tempo, Deus à fente
Desta Igreja que aflorou,
Com um fervor tão evidente
Como tal nunca se achou,
Pois habitava em cada crente
A presença veemente
Do Real Consolador.

Já se fazem muitos anos
E a história continua
Desse povo que não cessa
De pregar com entusiasmo
A verdade nua e crua,
De que Jesus Cristo Salva,
Ele perdoa e Ele cura.

Tudo isso é um privilégio
Que o Senhor nos concedeu.
Este fato tão egrégio
No Brasil aconteceu,
Da verdade do Evangelho
Que alcançou você e eu
Uma marca permanente
Das Assembleias de Deus!

                                                        (Clenio Daniel Parente Mendes)

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Muitos são os que pregam mensagens, e poucos os que pregam o EVANGELHO!

Não podemos fugir à realidade dos dias hodiernos. Como é comum afirmar no meio evangélico, Deus está "balançando a figueira" e contemplando os que, verdadeiramente, estão firmes na doutrina de Cristo. A verdade bíblica, tão necessária e urgente, está escassa e a igreja mal-acostumada com mensagens desarmonizadas com o evangelho do Reino de Deus.

Muitas das vezes, nós, pregadores, inflamamos a noiva do Cordeiro pela sua preferência em ouvir mensagens que falam de prosperidade, chaves de carro, casa, avião, que essa vida será um mar-de-rosas, etc. Pregações de autoajuda que sacolejam a mente, porém, o coração continua na mesma desgraça espiritual! Não me oponho a uma prédica que traz em seu corpo a almejada prosperidade e sim ao fato de pregarem-na como se fosse o tema central do evangelho. Acusamos o povo de Deus por desejar sermões desta categoria, mas, quem prega esse tipo de sermão? Nós, pregadores! Somos nós quem levamos este tipo de mensagem ao público; por quê? É bem simples. Porque a mensagem da cruz não faz os crentes glorificarem a Deus, nem pular, nem bater palmas e plantar bananeira, é um tipo de mensagem que não eleva o nosso ibope, não enche a nossa agenda de convites e o pastor da Igreja não nos convidará mais para uma outra oportunidade para ministrar a "poderosa Palavra de Deus". Que o Senhor Deus nos converta e nos faça voltar aos primórdios do Evangelho!

Esta triste realidade se evidencia a cada dia mais nas comunidades de fé, mas, quem são os culpados?


1) Os Pastores - Por perderem o compromisso com a sã doutrina e com o Reino de Deus e pelo medo de perderem as ovelhas, corrompem o altar de Deus com pregadores sem escrúpulo, sem a unção do Espírito Santo, preocupados mais com o "bolso" do que com a alma do ouvinte. Os tais pastores, por não possuírem mais o foco espiritual do evangelho da salvação, induz o povo à ruína impressionando-o com barulhos e movimentos ao invés de expor ao mesmo a divinal mensagem do evangelho, que continua tão poderosa e penetrante como na era apostólica.


2) Os Pregadores - Não sei se ainda podemos chamá-los desta forma, pois, tudo o que fazem é agradar a platéia com suas animações e artifícios inúteis. A Bíblia diz que o apóstolo Pedro pregou tão fervorosa mensagem salvífica que levou os seus ouvintes a uma profunda convicção de seus pecados (At 2.37); e em resposta às suas indagações, Pedro apela para necessidade dos que lhe deram ouvidos: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizados em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo (At 2.38). Quase três mil se converteram ouvindo tão preciosa pregação da salvação em Cristo (At 2.41). Hoje em dia, há quem pregue três mil vezes sem ganhar pelo menos uma alma!


3) A Igreja - É lamentável que a Igreja de Cristo tenha se desvirtuado dos verdadeiros ditames bíblicos para se apegar a tantas baboseiras que inundam a casa de Deus. Da crédito naquilo que não nos edifica pode se tornar grande perigo espiritual. Como Geazi em busca dos bens terrenos (2 Rs 5. 22-26), a Igreja segue o mesmo caminho, se perdendo naquilo que é terreno, em desdém as coisas eternas; no entanto, a Escritura nos ensina que devemos nos ocupar nas coisas que são do céu (2 Co 4.18; Cl 3.1) e estarmos apercebidos desses aventureiros hipócritas cuja especialidade é enganar o povo, esquecendo eles que sua perdição é certa.


Que o Senhor restaure os altares, desperte a Sua Igreja e converta os pregadores e os pastores mercenários! Chega de mensagens, que volte a ser pregado o EVANGELHO, que é muito mais do que uma mensagem! É a exposição da obra redentora de Jesus Cristo e do Seu sangue purificador, que nos expurga de todo o pecado (1 Jo 1.7).

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A Rocha e a Areia

Quem não conhece o famoso ensinamento de Jesus no tocante aos dois alicerces (Mt 7.24-27)? O que vamos auferir deste precioso ensino dado pelo Maior dos mestres? Jesus fala de dois homens, ambos com o propósito de edificar uma casa para si, porém, em fundamentos diferentes: um sobre a rocha, outro, sobre a areia. Os propósitos eram similares, as casas que planejavam construir sobre seus respectivos alicerces também seríam idênticas, além do mais, Jesus deixa uma outra diferença exposta na parábola em apreço: um era prudente e o outro era insensato.


Notemos bem que, na parábola, os dois homens construíram suas casas e, as adversidades que sucedeu a um, também ocorreu ao outro. Sobre ambos desceu a chuva, correram rios, e assopraram ventos (Mt 7.25,27), pondo em evidência as palavras do rei Salomão: tudo sucede igualmente a todos: o mesmo sucede ao justo e ao ímpio... (Ec 9.2a). Tanto o homem prudente como o insensato passaram pelas provações já assinaladas. Com base nisso, cai por terra toda pregação que assegura toda a isenção possível de lutas e provações, afinal de contas não é este o evangelho de Cristo, pois Ele mesmo disse: No mundo tereis aflições... (Jo 16.33).


Por que Jesus comparou os praticantes da Sua Palavra ao homem que edificou a sua casa sobre a rocha? As razões são várias. Em primeiro lugar, o homem que edificou a casa sobre a rocha estava cônscio de que não podia parar a chuva, nem deter os ventos, tampouco controlar o ímpeto dos rios, mas, podia proteger-se de tais fatores estribando-se em uma rocha inabalável. Vejamos o que o apóstolo Paulo disse: ... se alguém está em Cristo... (2 Co 5.17). Ora, estar em Cristo é estar na verdadeira Rocha e quem se firma nesta rocha inabalável e inconfundível sabe perfeitamente que não poderá fugir dos dias maus, aflitivos e tempestuosos, mas também sabe que obterá vitória em todas estas coisas, porquanto está firmado em um alicerce indestrutível.


Em segundo lugar, o homem que edificou a casa sobre a rocha sabia que tinha de se guardar das fatalidades que poderiam pôr sua vida em risco, por isso, Jesus o chamou de "homem prudente". (Mt 7.24). Prudência é saber se conduzir acautelando-se de erros ou de perigos que produzam resultados negativos que visam prejudicar a índole de alguém; o Senhor nos exortou a sermos prudentes (Mt 10.16), e em várias passagens do NT encontramos recomendações que diz respeito ao fato de "guardar-nos", "acautelar-nos" de muitas coisas (Mt 6.1; 7.15; 16.6; 24.4). Proceder com cautela é preservar a sua imagem e sua conduta, ilibada na Palavra de Deus, desviando-se do mal e de escândalos que visam mutilar o perfil de um cristão autêntico (2 Co 6.3).


Em terceiro lugar, o homem que edificou a casa sobre a rocha estava certíssimo de que a mesma lhe proporcionaria toda a segurança necessária. Quem pratica a Palavra do Senhor possui a plena certeza de estar sob a égide do Todo-Poderoso, tendo dEle plena proteção (Sl 23.4). Cristo é a Rocha que nos assegura salvação e a Palavra viva que enriquece a nossa fé.


Diferente do homem que construiu a casa sobre a rocha, o homem que edificou a sua casa sobre a areia pensou que estaria isento das intempéries que poderiam causar-lhe tamanha destruição; talvez também tenha pensado que seria inútil preocupar-se com sua própria segurança. Por acaso não é este o pensamento dos ímpios? O próprio Jó reconheceu a expressiva realidade (Jó 21.7-16). Eis como são muitos os que possuem sua casa sobre a areia; dinheiro em demasia e escassez de paz em sua alma; a tudo o que deseja, compra, menos a alegria de poder viver; logo, o que sentem é insegurança e o que possuem é um aperto dentro da alma, pois depressa vão se afogando no rio das turbulências, tropeçam no vale sombrio e escorregadio da desesperança e assim vão perecendo.


Como a areia agitada e levada pelo vento são os que não tem a verdadeira paz em Cristo. Debalde é construir planos, sonhar, realizar, quando, a qualquer hora, o vento das desilusões pode dar fim em tudo isso, causando dissabores e uma profunda crise de desânimo e amargura. Edificar a casa sobre a areia é viver uma vida só de momentos não sabendo da repentina destruição que pode assolar sua habitação pondo tudo abaixo. Quem se atrela a uma vida só de momentos desconhece o privilégio de obter a perene paz de Cristo em sua vida.


Não existe nenhum outro meio de viver em plena segurança de espírito senão em Cristo; Ele é a Rocha imutável a Quem todos devem recorrer, a fim de que recebam graça, consolo e proteção.