Digital clock

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Lições extraídas em 2 Rs 7

Convicto de que a Palavra de Deus é uma fonte inesgotável de sabedoria, ao meditar no episódio narrado em 2 Rs 7, pude exaurir do texto em relevo lições de suma importância para a nossa edificação.
Visto que a fome era grande em Samaria a ponto de o canibalismo ser praticado entre os seus habitantes, o profeta Eliseu vaticinou a abundância de alimentos a sobrevir no dia seguinte (2 Rs 7.1). A fome era avassaladora, portanto, em um período como este que provocou tamanho desespero nos samaritanos, confiante, Eliseu prediz uma grande abundância.
Eliseu é um exemplo de alguém que, debaixo da autoridade divina, domina situações e encara problemas em razão de sua segurança confiante em Deus. Quando confiamos em Deus e O obedecemos recebemos dEle autoridade a fim de dominar situações, administrar conflitos e encarar problemas de forma sábia e confiante e superar dilemas, visto que assim faz o Senhor aos que obedecem aos Seus mandamentos (Dt 28.13).
Ouvindo o vaticínio que fizeram o homem de Deus estava um capitão em cuja mão o rei se encostava; ouvindo ele a predição de Eliseu, evidenciou sua incredulidade, ao que Eliseu lhe replicou que ele veria, porém, não comeria (2 Rs 7.2). Mal esperava tal homem a tragédia que lhe ocorreria por não haver crido na palavra profética! Enquanto a fé nos leva a participar das bençãos, e incredulidade nos distancia delas privando-nos do gozo das bençãos do Senhor. Esse personagem é um forte exemplo de alguém que desdenha a voz profética. Não façamos assim, pois, da maneira como a Bíblia diz: "Não desprezeis as profecias" (1 Ts 5.20), também diz: "... crede nos Seus profetas e prosperareis" (2 Cr 20.20).
À entrada da porta de Samaria haviam quatro leprosos, os quais, diante de uma calamitosa situação que faziam prever a sua morte, ainda se levantaram indo para o arraial dos siros e, vendo que estes não estavam lá, logo se surpreenderam ao encontrarem alimentos, vestimentas, ouro e prata; tomando eles algumas destas coisas para esconderem, logo redarguiram: "Não fazemos bem; este dia é dia de boas-novas e nos calamos" (2 Rs 7.9). E, sendo assim, participaram essas coisas ao rei de Israel. Sejamos semelhantes as estes leprosos, mesmo diante de situações imprevisíveis, levantemo-nos e tomemos posse daquilo que foi outorgado por Deus sem deixar de partilhar com o próximo.
Podemos imaginar a maneira como os siros ficaram aterrorizados ao ouvirem ruídos de cavalaria se avizinhando deles. Era o Senhor confundindo os inimigos do Seu povo fazendo com que eles não prevalecessem sobre Israel. Bem-aventurado aquele que confia no Senhor e guarda os Seus mandamentos! Ele o livrará no dia mal de modo que não venha a perecer.
Confiemos em Deus enos esforcemos, porque, certamente Ele nos será por auxílio.

Nada substitui a Palavra de Deus!!!

No mundo globalizado como este, em que a inversão de valores tornou-se o carro-chefe da sociedade, percebemos que os verdadeiros princípios morais e cristãos já não ocupam mais o seu devido lugar como antigamente. Olhando as comunidades de fé, o panorama que ela vem apresentando é degradante, um tanto, escandaloso. Está tudo tão confuso! As coisas não estão mais no seu devido lugar! Falta sabedoria! Visão construtiva à luz dos ensinos bíblicos! E comprometimento total da parte dos líderes eclesiásticos em ensinar a Palavra de Deus na sua originalidade. Todas estas coisas estão escassas.
Infelizmente, as comunidades de fé - não todas - entraram por um caminho diferente, em contraste com o ensino das Escrituras. Julgando serem "pentecostais", "cheias do poder de Deus", deixaram introduzir no seio da igreja certos modismos discrepantes e um absurdo de "movimentos" enfadonhos que só enchem a mente, agitam o corpo, mas, não edificam a alma. Muitos são os que, indo para a Casa do Senhor, voltam da mesma forma como entraram. Já não há transformação genuína, no lugar de pregações ungidas, sermões enfadonhos, desprovidos da unção e da graça divinas, sem nenhum resultado efetivo. Tudo é rotina; enquanto a verdade não for exposta, os modismos prevalecerão, os tais movimentos forjados pela emoção se tornarão ainda mais manifestos e a Palavra de Deus, "viva, e eficaz" (Hb 4.12), relagada a uma posição inferior.
A igreja parece ter se divorciado de Cristo enquadrando-se nos padrões mundanos, adotando o seu sistema corrupto em desprezo aos mandamentos bíblicos. Precisamos entender que, uma vez resgatados deste mundo de pecados, igreja e pecado não combinam!!! Há também aqueles que, por não conhecerem o poder de Deus, o interpretam como sendo manifestos por meio de certas práticas levianas, na maioria das vezes, fruto da emoção. Profetizam quando não devem profetizar, relatam visões que não tiveram e transmitem revelações quando não as receberam! Não sou um crítico do movimento pentecostal, creio no poder de Deus, na poderosa manifestação do Espírito Santo bem como no exercício e atualidade dos dons espirituais, mas também creio na poderosa, infalível e inerrante Palavra de Deus! Por que não crê nesta da maneira como se crê nas outras coisas?
Portanto, mesmo diante dos muitos absurdos que vemos na igrejas, nada, absolutamente nada substitui a Palavra de Deus!!! Ela é o alimento para a alma, o caminho para o perdido e a água salutar para quem está sedento.