Digital clock

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

OBEDIÊNCIA E FIDELIDADE

Me dói a alma ao perceber que estes dois fatores não fazem mais parte da conduta de um cristão. Ao ver que a igreja, em sua maioria, parece professar uma crença mecanizada, não há amor, nada que a leve a um relacionamento íntimo com Cristo. Ao ler o Livro de Atos dos Apóstolos, chego a uma conclusão do quanto que a Igreja hoje perdeu aquela determinação de servir a Deus; determinação essa que ardia no coração dos crentes da Igreja Primitiva. Reis e Imperadores daquela época ficavam admirados ao ver tamanha expressão de fidelidade estampada no rosto de nossos pais na fé; nem seus súditos, que viam a sua face eram tão fiés ao imperador quanto os cristãos, os quais, a um Deus que nunca viram, se mostraram extremamente submissos até à morte. E nós? Aonde estamos em relação a eles?
O budista obedece fielmente à sua religião, porque não dizer o mulçumano que dá a vida pelo seu deus e outras crenças mais cujos adeptos demonstram uma pura devoção. Mas a Igreja, cujo Deus é vivo, verdadeiro, Rei sobre reis e Deus sobre os deuses, não Lhe obedece nem O glorifica com seus atos. Logo, não há mais obediência, tampouco há fidelidade e como resultado o nosso cristianismo fica sem fruto. Podemos agradar a Criador dessa forma? É certo que não. Acredito que é possível a Igreja de Cristo adquirir a mesma determinação, fervor e ousadia que havia nos cristãos na era passada, todavia, se a igreja se voltar ao seu Senhor humilhando-se perante Ele a fim de que ache graça e alcance miséricórdia. A Igreja do Senhor Jesus no Brasil precisa obedecer! Precisa ser fiel! Sim, adotar uma postura de lealdade em face do que vem ocorrendo em nosso país. Leis absurdas que estão tramitando no Congresso Nacional que procuram, de uma forma ou de forma ou de outra, calar a voz do Povo de Deus. Mas é nessa hora que devemos reagir! E dar o brado de indignação contra essa onda de abominação que infelizmente vem fazendo parte da nação brasileira.
É a hora da Igreja! Mais do que nunca devemos nos inconformar com o rio de inquidade que tenta submergir o nosso querido Brasil. Se o mundo continua sendo mundo, a Igreja deve continuar sendo Igreja! Determinada e decidida a propagar a Verdade do Evangelho custe o que custar; afinal de contas, esse é o nosso dever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário