Digital clock

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O difícil é comigo, o impossível é com Deus!

Marcos 8.34 “E, chamando a Si a multidão, com os Seus discípulos, disse-lhes: se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me”


“Negue-se a si mesmo”, foi o que Jesus disse; nossa! Que expressão veraz! Fortíssima! Eis aí o evangelho que nunca podemos deixar de pregar! Seja dentro de uma congregação, admoestando os cristãos a serem santos, seja fora dela convidando os pecadores para que aceitem o convite da graça. Mesmo que muitos não queiram entender, nem aceitar, isso nunca foi e nem será motivo para que a verdade do evangelho seja banida dos púlpitos das igrejas.
Quem já analisou passo-a-passo as mensagens contidas aqui, percebeu que fazemos o uso frequente da palavra “atitude”. Esta palavra tem um forte significado. Tudo deve partir dela. Deus tomou atitude de salvar o pecador enviando Seu Filho Jesus para ser crucificado (Jo 3.16), Jesus tomou atitude de dar Sua vida pelas almas perdidas sofrendo por amor de todas elas, o Espírito Santo tomou atitude de estar com a Igreja na terra consolando-a, amparando-a, santificando-a e preparando-a para o retorno do Rei. Agora, só resta o homem fazer a sua parte voltando-se “ao Pastor e Bispo das nossas almas” (1 Pe 2.25).
Existem muitos tipos de atitudes que podemos tomar na vida com o intuito de agradar ao Senhor; porém, existe uma que se sobrepuja a todas as outras: aquela que é a mais difícil de ser tomada. Por quê? Porque tudo o que é fácil não apresenta regras e nem exigências ao passo que o dificultoso envolve sacrifício e renúncia, verdade esta que nem todos procuram se harmonizar com ela. Não seria sacrifício nenhum Abraão tomar seu filho Ismael e levá-lo ao monte para oferecer a Deus em holocausto. Conforme o dito popular, Deus agiu diretamente “na ferida”: “Toma agora o teu filho, o teu único filho Isaque, a quem amas” (Gn 22.2). Faríamos coisa semelhante a esta caso o Senhor nos ordenasse? Por que a expressão “único filho” se eram dois os filhos de Abraão? Isto nos dá a entender que o velho patriarca demonstraria maior preferência, carinho e afeto por Isaque; motivo pelo qual o Senhor o levou à prova.
Há muitos optando pelo caminho fácil, “não é preciso deixar nem abandonar absolutamente nada, servir a Deus é o que importa”, é o que dizem e até pregam por aí. “Servir” siginifica prontidãopara obedecer ao seu Senhor; Jesus nos disse que devemos negar a nós mesmo se quisermos seguí-Lo; no entanto, o que queremos é serví-Lo do nosso próprio jeito, nada de renunciar pecado e nem repudiar os paradigmas da vida antiga. Se é assim então do que o apóstolo Paulo estava falando quando disse que devemos andar em novidade de vida (Rm 6.4)? Quando escreveu aos crentes em Corinto que somos novas criaturas (2 Co 5.17)? E que significado possui estas palavras : “e os que são de Cristo crucificaram a carne com suas paixões e concupiscências” (Gl 5.24)? Há algo errado, aliás, há muita coisa errada no seio da igreja, nas pregações supostamente fundamentadas nas Escrituras Sagradas. Precisamos voltar aos primórdios da Palavra de Deus!
É bem difícil renunciar aquilo que tanto amamos em nossa vida; porém, se estamos certo que que isso nos levará à perdição e que o Senhor tem preparado o melhor para nós, então, com sacrifício, renunciemos! Deus está cansado de coisa barata; Ele se agrada de sacrifício vivo! Sim, algo de valor, que nos exija comprometimento total com a Sua Palavra. É difícil mas eu consigo, é difícil mas eu sou capaz de ralizar pois confio no Deus que me ajuda em todo o tempo, porque bem sei que o impossível só Ele pode fazer.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

As quatro coisas impossíveis para Deus

Gênesis 18.14 "Haveria alguma coisa difícil ao Senhor?..."

Cremos firmemente que não há nada impossível para o Senhor. Ele criou os céus, a terra, o mar e tudo o que neles existem; sim, com a palavra da Sua boca, o imaterial se materializou diante dEle: "Porque falou, e tudo se fez; mandou e logo tudo apareceu" (Sl 33.9). A criação de todo o universo nos faz entender a grandeza do Criador em realizar coisas cujo pensamento humano nunca irá entender nem compreender tamanho significado de tudo o que está ao nosso redor. Com isso, ficamos convencidos de que o Senhor faz coisas extraordinárias (Jó 5.9) e não há nada que Ele não possa fazer porque todo o poder está em Suas mãos.
Por outro lado, encontramos na mesma Bíblia provas autênticas de quatro coisas impossíveis para Deus. Não se trata de heresia ou de uma deturpação doutrinária, mas, de argumentos fundamentados nas Escrituras Sagradas e que não fogem à luz da sã doutrina.


1) É impossível que Deus minta (Hb 6.18) - É impossível que proceda da parte do Senhor alguma palavra mentirosa, pois, com Ele está a verdade. Este é um fator que dá formosura a grandeza, soberania e santidade do Todo-Poderoso: verdade. NEle não há injustiça, nem mentira alguma ou coisa do gênero está relacionada a santíssima pessoa do Deus vivo (Nm 23.19); o apóstolo Paulo escreveu aos romanos dizendo: "Sempre seja Deus verdadeiro e todo o homem mentiroso" (Rm 3.4). Com isso, entendemos a impossibilidade de Deus mentir em Suas palavras.

2) É impossível que Deus peque: "Porque Tu não és um Deus que tenha prazer na iniquidade, nem contigo habitará o mal" (Sl 5.4)- Deus não Se compactua com o pecado. Tirando o Seu povo do Egito, o Senhor Se revelou aos filhos de Israel admoestando-os a serem santos tal como Ele é (Lv 11.44,45; 19.2; 20.26). Deus é santo; não tem acordo algum com tudo o que se constitui pecado ou está relacionado a ele. Oxalá se todo aquele que se julga cristão reconhecesse esta verdade despojando-se de toda a imundícia do pecado santificando a sua vida ao Senhor! Acha que por Deus amar o pecador consentirá naquilo que ele faz. Deus ama os seres humanos e não as obras tortuosas que os mesmos praticam; é impossível que Deus peque. Sendo Ele santo, sejamos nós também (Rm 6.12,12; 1Pe 1.15,16).

3)É impossível que Deus mude: "Porque eu, o Senhor, não mudo..." (Ml 3.6) - Imutabilidade é um dos atributos do Senhor Deus. NEle "não há mudança nem sombra de variação" (Tg 1.17). Deus é imutável em Sua forma de Ser, em Seus atributos e em Seus príncipios. A Sua Palavra permanece para sempre ( (Sl 119.89; Is 40.6-8; Mt 24.35; 1 Pe 1.24,25). A Palavra de Deus é eterna e não sofre mudança porque o Deus da Palavra também é eterno e imutável.

4) É impossível Deus cometer alguma falha - A Escritura Sagrada está repleta de exemplos que ratificam o esxposto acima. Não houve tempo algum na história em que o Senhor deixasse de cumprir com Sua Palavra. Disse o Senhor ao Seu servo Abraão que dele faria uma grande nação (Gn 12.2; 13.14-16; 15.4-6); e o Deus de promessa cumpriu a palavra que tinha dito ao Seu amigo. Foi ele pai de nações segundo a carne - Judeus e Árabes, sua descendência - e pai de multidão de nações segundo o espírito: "Sabei pois que os que são da fé são filhos de Abraão" (Gl 3.7). Deus é tremendamente fiel!!! "Diria Ele e não o faria? Ou falaria Ele e não o confirmaria?" (Nm 23.19).

Como servos deste Deus infalível e poderosíssimo, estejamos cada vez mais firmados nEle, Rocha inabalável, gozo indizível, consolo incomparável, amor inexplicável, perdão imensurável, realidade incontestável!