Digital clock

sexta-feira, 30 de abril de 2010

As três evidências do novo nascimento

E ele, deixando tudo, levantou-se e O seguiu (Lc 5.28)

É gratificante sabermos que, em nosso país, o número de evangélicos cresça desenfreadamente. Porém, é lamentável saber que uma boa parte destes não sejam cristãos como as Escrituras nos ensinam. Escândalos e mais escândalos, pecados e mais pecados, fatores que tentam mutilar a identidade da Igreja de Cristo ante a sociedade moderna e desviada de Deus. Pastores que, ao perderem o temor de Deus, distorcem a Sua Palavra, enganando os fiéis, ludibriando-os com palavras lisonjeiras apresentando aos seus ouvintes um "evangelho fácil".

É hora de mudarmos isso partindo do pressuposto bíblico que todo aquele que não nascer da água e do Espírito não pode ver o Reino de Deus (Jo 3.3-5). Escolhendo a Abraão e fazendo-lhe promessas, mostrou-lhe o Senhor que atitude ele deveria tomar: "Sai-te da tua terra..." (Gn 12.1). Não obstante o referido acima, vamos tomar como exemplo Mateus - ou Levi, conforme registrado em Lucas - ele é um dos grandes ícones no que respeita a obra da regeneração na vida do ser humano. Nele encontramos as três preciosas manifestações do novo nascimento:1) Renúncia ("deixando tudo"), 2) Convicção ("Levantou-se") e 3) Compromisso verdadeiro ("e O seguiu").

O Senhor se agrada de todo o que se achega a ele na atitude decisiva de renunciar tudo o que for preciso para viver em comunhão com o Senhor: "... se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo..." (Mc 8.34). Há quem pense que o primeiro dos inimigos a quem devemos resistir para seguir a Cristo é Satanás, o tentador. Ledo engano! O primeiro dos inimigos é o nosso próprio eu: negue-se a si mesmo". Ora, vaso pra ser cheio é preciso estar vazio. Desta forma, quem deseja ser cheio de DEUS deve-se esvaziar do EU, prepotente e presunçoso. Como fez Levi, é preciso deixar "tudo"; tudo o que é embaraçoso, tudo o que pende para a vaidade, para a depravação, para o egoísmo', para a maldade, enfim, nos despojar de toda a espécie de pecado a fim de que sobre e dentro de nós habite a soberana presença de Deus, qual tesouros em vasos de barro( 2 Co 4.7).

A segunda atitude tomada por esse futuro apóstolo ao ouvir o Mestre dizer-lhe: "Segue-me" (Lc 5.27) chama-se convicção. Na convicção com que Abel apresentou uma excelente oferta ao Crisdor (Gn 4.4; Hb 11.4), com que Abraão, ouvindo a voz do Deus desconhecido, obedeceu-O saindo sem saber para onde ia (Gn 12.1-7; Hb 11.8), com que Moisés, por intermédio d' uma divina revelação, guiou a nação eleita pelo deserto no espaço de quarenta anos, na convicção com que Elias enfrentou quatrocentos e cinquenta profetas de Baal mostrando que Javé é o unico e verdadeiro Deus na instrumentalidade do fogo que incendiou o altar (1 Rs 18.31-39), com que o filho pródigo, cônscio da penúria em que se encontrava, decidiu voltar ao lar paternal (Lc 15.16-25), é nessa mesma atitude que devemos nos "levantarmos" diante dEle declarando-nos prontos para serví-Lo.

Mateus não somente deixou tudo para trás, tampouco levantou-se daonde estava, além disso, ele SEGUIU o Mestre! Ele se comprometeu em ser um servo leal e submisso a Cristo; já não era mais o cobrador desonesto de outrora; a terna voz do Divino Mestre, soando em seus ouvidos e alarmando no interior da sua alma, o transformou de coletor de impostos em coletor de almas para o Reino de Deus!

Que essa poderosa transformação ocorra na vida de muitos que se julgam cristãos e não são, se intitulam servo, portando-se como se não tivesse um Senhor, se achando filhos, porém desobedientes ao Pai Eterno. Sim, que essa transformação possa urgir na vida de muitos que estão dentro da Casa de Deus, fazendo-os voltar aos primórdios da vida Cristã elucidados na Escrituras Sagradas!

Um comentário:

  1. Texto abençoado, que o Senhor continue a derrramar bençãos em tua vida.

    Amém
    Http://vidsimpactando.blogspot.com

    ResponderExcluir