Digital clock

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A lepra de Naamã

II Reis 5.1
A história de Naamã nos ensina que mesmo que uma pessoa viva rodeada de bens queira significar felicidade genuína. A Bíblia nos apresenta Naamã sendo ele "chefe do exército do Rei da Síria", grande diante do seu senhor e de muito respeito", "homem valoroso", mas, o escritor mostra o outro "lado da moeda": "leproso". Até podemos imaginar a popularidade deste homem dentro da sua nação, o respeito da parte de muitos bem como o prestígio que ele conquistara dos seus conterrâneos, a sua notoriedade como homem destemido por meio de quem "o Senhor dera livramento aos sírios"; o nome "Naamã era sinônimo de reverência para todos os que o ouviam fazer menção dele. Quem o visse, veria a sua bravura em pelejar pela sua nação, as muitas regalias que ele possuía, a sua tão elevada posição de autoridade perante o seu senhor. Podemos imaginar também as palavras de admiração atribuídas a um homem, por quem seu senhor tinha grande apreço. Mas, a Bíblia faz uso da conjunção coordenada adversativa ao dizer: "... PORÉM LEPROSO". Ninguém entre os síros via um "Naamã leproso", mas um Naamã de uma influente personalidade dentro da sua nação. É certo que esse grande personagem, ao chegar em casa e aproximando-se do seu leito, lembrasse dos que o admiravam transmitindo palavras de elogio e respeito; porém, o que mais marcava os pensamentos de Naamã era a lepra em volta do seu corpo. Ninguém via essa lepra senão ele mesmo! Possívelmente ele se esqueceria das regalias que tinha em razão de seus pensamentos serem invadidos por uma tão grande realidade: era leproso. Havia em Naamã uma lepra maior que a do corpo físico: a lepra da infelicidade, não estamos falando de tristeza, mas de infelicidade. Tristeza é o resultado das circunstâncias do dia-a-dia, todos nós a enfrentamos. Mas infelicidade é fruto da desgraça, de algo que cativa a alma de muitas pessoas deixando-as sem paz e sem esperança. Quantas pessoas, à semelhança de Naamã, possui muitas regalias, rodeadas de bens, tem uma respeitada e influente personalidade no meio em que vive, porém, carrega em sua alma a lepra da INFELICIDADE! Os bens nem sempre significam tudo na nossa vida. Quantas pessoas, não obstante terem tudo o que quer, porém, sente a falta de algo tão precioso em sua vida, sim, algo mai excelente do que os bens materiais, do que o dinheiro, do que a fama ou qualquer outra coisa nesta vida. Esse algo é a verdadeira felicidade! Jesus é a fonte da água viva (João 7.37)! Sim, a água que purifica o homem da lepra da infelicidade, fazendo reconhecer que a presença de Deus é a maior fonte de alegria que o ser humano pode sentir!

Nenhum comentário:

Postar um comentário